Educadores do Amazonas

Escolas do Amazonas têm recebido crescente fluxo de alunos imigrantes nos últimos anos, muitos dos quais se deslocaram forçadamente e vivem num contexto de vulnerabilidade socioeconômica. Visando à promoção do acolhimento e da integração desses estudantes na rede pública de ensino, o programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil, implementa o projeto Edumigra – Formação de Professores(as) para a Garantia do Direito à Educação de Crianças e Adolescentes Refugiados e Migrantes, uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), Secretaria de Estado de Educação e Desporto do Amazonas (Seduc-AM) e Secretaria Municipal de Educação de Manaus (Semed).

A ação tem como objetivo promover a reflexão sobre os movimentos migratórios e a acolhida de pessoas migrantes nas escolas das redes municipal de Manaus e estadual do Amazonas. Na prática, o projeto é implementado em duas etapas: a formação de educadores e técnicos pedagógicos de ambas as redes e  a disponibilização de uma plataforma de educação à distância sobre direitos migratórios e trabalho escravo para professores, gestores escolares e demais profissionais da Educação.

Elaborada pelo Escravo, nem pensar!, a plataforma Edumigra conta com uma metodologia autoinstrucional, por meio da qual a pessoa acessa e estuda o material de forma autônoma. A formação assíncrona está dividida em seis módulos que compreendem conteúdo conceitual, exercícios para compreensão e apropriação do conteúdo, e questões provocadoras que estimulam o pensamento sobre a temática da migração e assuntos correlatos. No ambiente virtual, são disponibilizados materiais de apoio, com sugestões de leituras, sites, cartilhas, vídeos e relatórios informativos.