Projetos comunitários

Os professores procuraram abordar o tema do trabalho escravo dando foco ao tráfico de pessoas para a exploração sexual. Em suas aulas, trabalharam com os materiais do Escravo, nem pensar!, e os alunos produziram gráficos, cartazes informativos, histórias em quadrinhos, gibis, redações e paródias. Na culminância, expuseram os resultados do projeto para os pais e a comunidade escolar.

Informação para a prevenção

A escola recebeu palestras de uma assistente social e de um profissional da saúde sobre exploração sexual e doenças sexualmente transmissíveis. Os eventos foram muito proveitosos pois além de trazer novas informações para os alunos, envolveram a comunidade ao falar de temas que estão próximos da sua realidade.

O projeto dá continuidade às ações do projeto O trabalho degradante nas cerâmicas e o prejuízo ao meio ambiente em Eldorado dos Carajás – PA, apoiado pelo Escravo, nem pensar! em 2013.

Depoimento

O projeto foi muito gratificante, pois trouxe um conhecimento mais amplo tanto para o alunato quanto para a comunidade escolar. Aqui no município há casos de trabalho escravo, mas a população costuma fechar os olhos para o problema. Agora os alunos estão mais conscientes dos seus direitos e, se testemunharem situações como essas, sabem como agir e a quais órgãos recorrer.

Gisleine da Cruz Nunes 6o ao 9o ano e responsável pelo projeto

Comentários fechados.