Projetos comunitários

Os professores da escola abordaram o tema em suas aulas por meio de seminários, pesquisas e exibição de filmes e documentários. Nas aulas de linguagens, os alunos participaram de uma oficina de escrita de crônicas, confeccionaram cartazes, mosaicos, tapetes e bordados e montaram e ensaiaram uma peça teatral. As produções artísticas foram apresentadas no evento de encerramento, que contou também com a apresentação de um grupo de capoeira.

O trabalho escravo sob diferentes focos

A visita profissionais como o Procurador Geral do Trabalho de Mato Grosso e advogados da OAB contribuiu para atualizar e aprofundar os debates. Nos encontros, discutiram com os alunos o empoderamento da mulher e o trabalho escravo feminino, o papel dos direitos humanos no combate à escravidão, as leis trabalhistas e os tipos de punição ao trabalho escravo.

Depoimento

O desenvolvimento do projeto foi excelente, pois a comunidade escolar está mais consciente e esclarecida sobre a prática do trabalho escravo. Infelizmente, essa ainda é uma prática que acontece na nossa cidade e na nossa região e que precisa ser erradicada da sociedade. Hoje, por intermédio do projeto, nos tornamos mais perspicazes e atentos ao que acontece conosco e as pessoas que nos rodeiam.

Maria Domingas de Souza, professora e responsável pelo projeto

 

Comentários fechados.