Projetos comunitários

O projeto foi desenvolvido com o objetivo de realizar ações de comunicação para informar a comunidade sobre a presença do trabalho escravo rural na região, as formas de cair nessa armadilha e de evitá-la. As escolas situam-se em áreas de assentamentos que têm passado por dificuldades, o que aumenta a atuação de aliciadores de mão de obra.

Para elaborar os materiais de comunicação, as escolas refletiram com os estudantes sobre as características do trabalho escravo contemporâneo. Foi criado um jornal mural, com matérias sobre legislação trabalhista, trabalho escravo, notícias locais, esporte, mensagens e desenhos produzidospelos estudantes. A rádio “Dinâmica Jovem” entrou no ar todos os dias durante os intervalos entre as aulas, e transmitiu notícias sobre trabalho escravo e oferecimentos musicais.

Na Escola Pau Brasil, a partir de textos informativos sobre o tema, alunos e alunas estudaram a situação enfrentada pelos trabalhadores rurais em fazendas e a legislação trabalhista, identificando os direitos e a necessidade de denunciar às autoridades competentes as situações vivenciadas. Na Escola Tancredo Neves, foram realizadas pesquisas sobre o tema e produzidos cartazes e textos, além de artesanatos com reciclagem, tecidos, sementes e potes de barro, como forma de identificar elementos da cultura africana na comunidade. Alunos e alunas entrevistaram moradores e recolheram informações sobre plantas medicinais, pratos típicos e aspectos da cultura local.

A Escola Antônio Alves Dias sediou a maior parte das atividades do projeto, ficando responsável pela produção do jornal mural e dos programas de rádio distribuídos às outras escolas. Também foram desenvolvidas diversas ações em sala de aula, como pintura em camisetas, dramatizações, coreografias e paródias.

Todos os trabalhos produzidos pelas três escolas foram apresentados em atividade de socialização do projeto, que contou com a presença da comunidade.

Comentários fechados.