Projetos comunitários

Codó é um dos principais municípios exportadores de trabalhadores do estado para outros lugares do Brasil; muitas vezes, acabam explorados. Pensando em prevenir alunos e comunidade do aliciamento, um grupo de professores se empenhou em levar o tema do trabalho escravo e do tráfico de pessoas às escolas onde trabalham, potencializando as ações de prevenção que já ocorrem na cidade, como a Caravana da Liberdade.

O projeto abordou o tema do trabalho escravo contemporâneo e do tráfico de pessoas com três públicos diferentes: alunos, pais e gestores. Nos encontros com esses últimos, foram discutidos importantes pontos que devem ser analisados ao se desenvolverem campanhas de prevenção, como o fato de algumas autoridades desconhecerem o conceito de trabalho escravo contemporâneo e não identificarem o problema por naturalizarem a situação de exploração do trabalhador.

Levando isso em conta, uma grande quantidade de material gráfico foi produzida pelos educadores para informar e sensibilizar a população, como banners, faixas e panfletos informativos, os quais foram distribuídos pelos alunos durante a Caravana da Liberdade, evento organizado no município pelo governo estadual. Também foram produzidos textos, desenhos, fotografias, paródias e peças teatrais ao longo do ano. Outro ponto positivo do projeto foi a sua capilaridade, uma vez que ele envolveu quatro diferentes escolas da rede municipal e estadual.

Temos a certeza de que podemos fazer a diferença na nossa profissão e na vida de nossos alunos! Joseane Cantanhede, professora de Língua Portuguesa e coordenadora do projeto

 

Comentários fechados.