Projetos comunitários

Estudar para informar

As primeiras atividades do projeto aconteceram em sala de aula com os alunos do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Estadual do Campo Damião Mamedes do Nascimento. Auxiliados pelos professores, os alunos realizaram pesquisas bibliográficas e assistiram e debateram vídeos sobre o tema do trabalho escravo e do tráfico de pessoas que foram abordados nas disciplinas de Português, Matemática, Sociologia, Biologia e Geografia.

Preocupada com que as informações chegassem às comunidades rurais da região e que os alunos se mobilizassem e protagonizassem ações de combate ao trabalho escravo, a equipe pedagógica programou uma série de palestras nas comunidades rurais Quilombo, Raizama, Ribeirão Acima e nas escolas estaduais Maximiana do Nascimento e Benedita Augusta Lemes, além da própria escola que sediou o projeto.

Informar para prevenir

Em cada um desses espaços, as palestras foram dadas pelos próprios alunos, que também apresentaram a peça de teatro e paródias sobre o tema produzidas por eles, seguidas de debates. O projeto se encerrou com a apresentação de um júri que simulou um julgamento de um caso de trabalho escravo.

Comentários fechados.