Formações e oficinas

A atividade contou com professores e coordenadores pedagógicos de escolas municipais e estaduais, além de representantes da Secretaria Municipal de Educação. Além de expor o conteúdo conceitual do trabalho escravo contemporâneo, a equipe do programa fomentou debates e dinâmicas a respeito de temas relacionados, como tráfico de pessoas, concentração fundiária e migração. O público participante recebeu um conjunto de materiais didáticos para subsidiar as abordagens em sala de aula sobre os assuntos discutidos.

Paracatu é o líder do inglório ranking estadual de trabalho escravo. Desde 2003, mais de 200 trabalhadores foram resgatados do trabalho escravo no município, segundo dados da Comissão Pastoral da Terra.

 Turma de Paracatu

Comentários fechados.