Projetos comunitários

Interdisciplinaridade e formas de expressão

Em sala de aula, temas como trabalho escravo contemporâneo, direitos trabalhistas, migração, tráfico de pessoas, exploração sexual e meio ambiente foram abordados nas disciplinas de Português, História, Geografia, Matemática e Ciências pelos professores, que buscaram não só informar os alunos, mas também sensibilizá-los para essas questões com vídeos, conversas com trabalhadores, debates e palestras.

Os alunos puderam expressar o que viram com a elaboração de peça de teatro, cartazes, paródias, textos, poesias, músicas etc. Junto aos professores, eles participaram de uma caminhada pelas ruas da cidade e apresentaram o que produziram ao longo do projeto para toda a comunidade.

A escola se preocupou também com que a informação chegasse diretamente à comunidade. Além de a culminância ser aberta ao público e de distribuírem panfletos informativos, a escola convidou todos a participarem de uma palestra sobre direitos trabalhistas, na qual o público pôde se informar melhor e tirar dúvidas com um advogado do município.

Conhecendo a realidade de perto

Para conhecerem melhor a dinâmica de trabalho nas indústrias de cerâmica e o processo de produção, os alunos visitaram uma empresa do município, onde realizaram entrevistas com os funcionários. Lá, puderam constatar que, mesmo com o fornecimento de equipamentos individuais de proteção (EPI’s), os acidentes são frequentes e que os trabalhadores não têm conhecimento dos seus direitos trabalhistas. Os alunos também ficaram impressionados com o desperdício de recursos naturais, como o barro e a madeira extraída da floresta para a queima do tijolo. O fato de os fornos serem rudimentares e pouco eficientes contribui para o alto consumo de carvão.

Comentários fechados.