Educadores de São Paulo (SP)

O programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil, e a Secretaria Municipal de Educação (SME), realizaram, em 2016, o projeto “Migração como direito humano: rompendo o vínculo com o trabalho escravo” para a disseminação dos temas do direito à migração e da prevenção ao trabalho escravo nas escolas de São Paulo e nas comunidades que a circundam. O objetivo foi formar educadores da rede municipal sobre conteúdos relacionados a esses temas, para que estivessem preparados para desenvolver iniciativas pedagógicas sobre os eles.

A formação dos profissionais da educação foi realizada pela equipe do programa Escravo, nem pensar! em encontros presenciais, os quais aconteceram ao longo de 2016. Nessas ocasiões, estiveram presentes também representantes de entidades do poder público (Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho etc.) e da sociedade civil, os quais compartilharam seu conhecimento técnico e as suas perspectivas institucionais a respeito do combate ao trabalho escravo no município de São Paulo.

A ação teve como resultado o envolvimento de 593 professores, 5.108 alunos e 983 pessoas da comunidade extraescolar, totalizando 6.793 pessoas.

O projeto contou com o apoio do Ministério Público do Trabalho da 2ª Região.