Formações e oficinas

O público foi formado por professores do campo e da cidade, representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e agentes comunitários. A formação debateu as principais questões socioambientais da região, como desmatamento do Cerrado, irregularidades trabalhistas, e trabalho infantil.

No primeiro encontro de monitoramento, a Unidade Escolar Deputado Fernando Monteiro realizou um projeto específico sobre trabalho escravo. A redação da estudante Viviane das Virgens Santana foi premiada com o terceiro lugar do concurso estadual “Educar para libertar”, promovido pelo Fórum Estadual de Combate ao Trabalho Escravo. Durante o projeto, professores uma gincana cultural sobre trabalho escravo que envolveu todas as turmas do Ensino Fundamental e Médio e contou com a participação de mães, pais e colegas de outras escolas.

Nos dois encontros de monitoramento seguintes, os professores relataram diversas abordagens do tema em sala de aula. Ao final do processo de formação, os professores avaliaram a experiência da formação e ressaltaram aspectos positivos, como o princípio da educação contextualizada, a abordagem interdisciplinar e os diferentes conteúdos trabalhados.

O programa continuará em contato com os participantes à distância, por meio de ferramentas como o boletim, enviado mensalmente.

Comentários fechados.