Em 2014, o programa Escravo, nem pensar! conta com o apoio de (em ordem alfabética):

  • Catholics Relief Services (CRS)
  • Grupo de Articulação Interinstitucional para a Erradicação do Trabalho Escravo do Pará (Gaete -PA)
  • Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região – PA
  • Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região – PR
  • Procuradoria Regional do Trabalho da 16ª Região – MA
  • Procuradoria Regional do Trabalho da 23ª Região – MT
  • Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República
  • TAM Linhas Aéreas

Em anos anteriores, o programa foi apoiado pelas seguintes instituições:

  • Comissão Estadual para Erradicação ao Trabalho Escravo do Mato Grosso (Coetrae-MT)
  • Fundação Doen, da Holanda
  • Governo Estadual do Piauí
  • Instituto Carvão Cidadão, do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho
  • Instituto Rosa Luxemburgo
  • Ministério da Educação
  • Ministério Público de Minas Gerais
  • Ministério Público do Trabalho – Pernambuco
  • Organização Internacional do Trabalho (OIT)

As parcerias com entidades e indivíduos são fundamentais para o desenvolvimento das nossas ações. Desde a sua implementação, o programa tem trabalho conjuntamente com Centro de Defesa da Vida e de Direitos Humanos Carmen Bascarán e Comissão Pastoral da Terra, em suas ações para a erradicação do trabalho escravo e o tráfico de pessoas. Contamos ainda com a participação e a colaboração de dezenas de organizações e movimentos locais, como sindicatos de professores e de trabalhadores, centros de direitos humanos e associações comunitárias, além do poder público.

Além disso, também fazemos parte das seguintes redes:

– Campanha de prevenção e Combate ao Trabalho Escravo “De Olho Aberto para Não Virar Escravo”

– Grupo de Articulação Interinstitucional para a Erradicação do Trabalho Escravo do Pará (Gaete –PA)

– Fórum Regional de Educação do Campo do Sul e Sudeste do Pará (FREC – PA)

– Núcleo de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Estado de São Paulo