Nos dias 13 e 14 de dezembro, o programa Escravo, nem pensar realizou o terceiro encontro da formação continuada sobre o tema do trabalho escravo e assuntos correlatos para gestores e técnicos da Educação da rede pública do estado da Bahia. O encontro teve como objetivo sistematizar e avaliar os resultados das atividades preventivas ao trabalho escravo realizadas em escolas das regiões de Barreiras, Santa Maria da Vitória e região metropolitana de Salvador.

participantes reunidos para foto com o procurador Ilan Fonseca (terceiro da esq. p/ dir.), Gilca Garcia (segunda da esq. p/ dir.) e Josinélia Chaves (terceira da esq. p/ dir.)

Na ocasião, estiveram presentes profissionais dos três Núcleos Territoriais de Educação (NTE) participantes e servidores da Secretaria da Educação do Estado da Bahia (Sec), parceira do projeto. Além do conteúdo conceitual apresentado pela equipe do Escravo, nem pensar, o público participou de uma roda de conversa com o procurador Ilan Fonseca, do Ministério Público do Trabalho (MPT). O evento também contou com a presença de Josinélia Chaves, da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte – Setre/Bahia (Setre) e Gilca Garcia de Oliveira, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que palestraram sobre o combate ao trabalho escravo no estado.

Tags:

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)