As ações fazem parte da formação continuada sobre trabalho escravo e tráfico de pessoas

Nos dias 21, 23 e 25 de outubro, o programa Escravo, nem pensar! retornou aos municípios de Oeiras (PI), Picos (PI) e Codó (MA), respectivamente, para dar continuidade ao processo formativo dos professores das redes municipais e estaduais sobre trabalho escravo e tráfico de pessoas. Nesses municípios, é frequente a saída de trabalhadores para exercer atividades laborais nas lavouras de cana-de-açúcar e na construção civil em São Paulo.

DSC00154

O intuito dos encontros é discutir, fomentar e socializar formas de abordagens em sala de aula, debater as dificuldades enfrentadas pelas escolas para inserção do tema nos conteúdos escolares, realizar novas atividades pedagógicas com os participantes e distribuir as mais recentes publicações didáticas do programa.

No Maranhão, os participantes compartilharam os resultados das atividades sobre o trabalho escravo. O educador Thiago Casteli prestigiou a culminância dos projetos de três escolas: Escola Municipal Renato Archer, Escola Municipal Sarney Filho e Centro de Ensino Luzenir Matta Roma. No Piauí, é a primeira vez que o programa retorna após as formações realizadas no final do primeiro semestre deste ano. O objetivo é que escolas e comunidades divulguem a existência do trabalho escravo e os perigos do aliciamento. A educadora Marina Falcão visitou o Ginásio Estadual Dr. José Gusmão e conversou com os alunos sobre o tema.

prof_codo_monitoramento2

O ENP! fará o segundo encontro pedagógico no Piauí no primeiro semestre de 2015. Em Codó, não haverá mais atividades presenciais. A Secretaria Municipal de Educação pretende inserir o tema na proposta pedagógica das escolas da rede a partir do ano que vem.

As atividades foram apoiadas pela Catholic Relief Services (CRS) e Ministério Público do Trabalho.

Tags:

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)