O caderno “Experiências Comunitárias de Combate ao Trabalho Escravo e ao Tráfico de Pessoas” reúne 14 ações apoiadas pelo programa em 2013

O programa Escravo, nem pensar!, com o apoio do Ministério Público do Trabalho, lança no mês de abril o caderno “Experiências de Comunitárias de Combate ao Trabalho Escravo e ao Tráfico de Pessoas”. A publicação reúne 14 ações realizadas por professores, lideranças comunitárias e agentes pastorais de combate e prevenção ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo apoiadas pela 7ª edição do Fundo de Apoio a Projetos do Escravo, nem pensar!.

caderno_pfs_2013Entre os meses de junho e novembro de 2013, os projetos desenvolveram diversas atividades para informar e erradicar o trabalho escravo e o tráfico de pessoas. Houve produção de poemas, textos e paródias; apresentações de dança, capoeira, teatro e música; confecção de cartazes, panfletos e banners; rodas de conversa e exibição de filmes; produção de hortas comunitárias e criação de galinha caipira; pesquisas sobre a cultura quilombola e migração. “Os alunos gostaram bastante do projeto, nunca tinham participado do desfile e todo o dia perguntavam quando ia acontecer [outra atividade]. O projeto foi muito bom, eles gostaram muito”, conta Monica Regina de Souza Araujo professora responsável pelo projeto “Alternativas de sobrevivência no Semiárido: escravo, nem pensar” realizado em Ibotirama (BA).

Cada iniciativa recebeu até R$ 1,5 mil, um kit com materiais e acompanhamento pedagógico mensal da equipe do programa para subsidiar as atividades. Um dos objetivos do Fundo de Apoio a Projetos do Escravo, nem pensar! é promover o protagonismo e engajamento de professores, lideranças comunitárias e agentes pastorais no combate e prevenção ao trabalho escravo. Desde 2007, 94 projetos já foram apoiados pela ONG Repórter Brasil. Clique aqui para ver projetos de edições passadas.

Este ano, o programa apoiará 16 iniciativas até outubro. Clique aqui para ver os projetos selecionados.

Tags:

1 Resposta para “Publicação reúne ações de combate ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas”

  1. Lucinda Rolnic Rodrigues

    Estamos no século XXI e ainda não conseguiram encontrar o que é certo e o que é errado? O homem volta a origem das cavernas ou é o aquecimento cerebral que está tornando o ser irracional?