Município é o décimo do Mato Grosso a receber formação sobre trabalho escravo contemporâneo e temas relacionados aos direitos humanos

Entre os dias 26 e 30 de agosto, o programa Escravo, nem pensar! realizou uma formação de professores e lideranças a respeito do trabalho escravo contemporâneo em Cáceres (MT). A ação teve apoio do Ministério Público do Trabalho em Cáceres (MPT) e parceria com a Secretaria Municipal de Educação, a Assessoria Pedagógica Estadual e o Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação (CEFAPRO).

O objetivo da formação é articular escolas e entidades sociais em torno de atividades de multiplicação de conhecimentos sobre o trabalho escravo, contribuindo para a prevenção e enfrentamento dessa violação dos direitos humanos. Nesse sentido, participaram da formação 43 professores de 19 escolas da rede estadual e municipal, do campo e da cidade, 4 membros do CEFAPRO e representantes do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e da ONG FASE.

Participantes reunidos no término da formação

Participantes reunidos no final da formação

Além do trabalho escravo, foram debatidos aspectos da realidade local e temas ligados à defesa dos Direitos Humanos, como questão agrária, Educação do Campo, meio ambiente, combate à exploração sexual, imigração e povos tradicionais.

A discussão sobre a prática pedagógica e as possibilidades de abordagens nas escolas animou a semana de atividade. Como a Comissão Pastoral da Terra em Cuiabá promoveu recentemente um concurso cultural sobre o tema envolvendo as escolas do campo, a formação foi um espaço importante de compartilhamento de ideias, experiências práticas e vivências profissionais.

As escolas municipais Buriti e 16 de Março e a escola estadual Mario Duílio Evaristo Henry compartilharam os projetos realizados sobre o tema, exibindo imagens e produções didáticas e narrando as etapas da elaboração dos projetos. Contamos ainda com a apresentação de uma paródia feita por duas estudantes e uma conversa com o professor Lucidio Egídio de Sales, que está coordenando o projeto pedagógico “Educação para Libertação” em Jangada (MT), selecionado pelo Fundo de apoio a projetos do Escravo, nem pensar!  de 2013.

No que diz respeito ao debate conceitual, as rodas de conversa com Elizabete Flores da Comissão Pastoral da Terra de Cuiabá e o procurador Leomar Daroncho do Ministério Público do Trabalho em Cáceres foram importantes por terem aprofundado a reflexão sobre as ações de combate ao trabalho escravo e apresentado informações atualizadas sobre a ocorrência de casos no estado.

Projetando a multiplicação do tema nas escolas e comunidades, os professores desenvolveram planos de ação consistentes e criativos para integrar a temática aos currículos e planejamentos escolares.

A equipe do programa retornará duas vezes ao município, em intervalos de seis meses, para monitorar as ações escolares, realizar novas atividades pedagógicas e oferecer materiais didáticos.

O município

Cáceres, fundado em 1778, está localizado na divisa do Brasil com a Bolívia e possui uma realidade complexa. Considerado um dos pontos de acesso ao Pantanal, o município tem um dos maiores rebanhos de gado do Mato Grosso, com 887.000 cabeças. Atualmente a “Lista Suja”, coordenada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, registra dois casos de trabalho escravo contemporâneo em atividades pecuárias no município.

Tags:

6 Respostas para “Educadores de Cáceres (MT) participam da formação do Escravo, nem pensar!”

  1. Vaneide

    Eu estava nesta capacitação juntamente com outros colegas de trabalho, foi maravilhoso, o melhor de todos cursos que já fiz. Um abraço Thiago e Thais.

    Responder
  2. Edenilda

    Participei da Formação, foi uma semana muito produtiva e de encaminhamentos para início dos trabalhos nas escolas. Muito bom!

    Responder
  3. AMILTON

    Participei dessa etapa do curso, ENP e gostaria de parabenizar aos educadores Thiago e Thais pelo belo trabalho desenvolvido, certamente novos horizontes e formas de desenvolver atividades em sala de aula e na comunidade escolar foram abertos no decorrer desse curso.

    Responder
  4. ANISIO

    Muito proveitoso esse curso, já estamos esperando a próxima etapa, para limparmos a “quiçassa”, né Thais!…Um Abraço Thiago e Thais.

    Responder
  5. Thais Favoretto

    Olá! Eu e Thiago nos alegramos ao ler esses comentários. É muito bom saber que a formação foi proveitosa para vocês! Estamos ansiosos pelos próximos passos. Abraços!

    Responder

Deixe uma resposta

  • (não será publicado)